Sono da Mulher

Pesquisadora responsável: Dra. Helena Hachul de Campos

Uma mudança no estilo de vida das mulheres resultou em acúmulo de funções e atividades, desde educacionais até financeiras. Assim, os cuidados com a família, e do lar, juntamente com a responsabilidade de um trabalho remunerado levam a uma sobrecarga de trabalho. Além disso, muitas mulheres ainda estudam. É muito frequente, nos dias atuais, a dupla, ou tripla jornada de trabalho. Com isso, elas passam a ter pouco tempo disponível para dormir. Vivem, na realidade, uma privação crônica de sono. Quando elas finalmente, deitam para dormir, vem a insônia. A mulher fica com dificuldade de dormir, por estar preocupada com tudo que ela tem que fazer no dia seguinte. Aliado a isso, o organismo feminino tem suas particularidades devido às mudanças hormonais. Dentro deste contexto destacamos que a insônia é muito prevalente entre as mulheres interfere na qualidade de vida.

Os distúrbios de sono são altamente prevalentes, sobretudo insônia e apnéia, que tendem a se intensificar no climatério. Muitas mulheres iniciam quadro de insônia na transição menopausal, muitas têm este quadro exacerbado ou em maior freqüência neste período. Cerca de 60% das mulheres apresentam insônia nesta fase. A apnéia também é freqüente em muitas mulheres que nos procuram por uma “insônia”, na verdade apresentam distúrbios respiratórios de sono, tendo um quadro de um sono não restaurador.

O tratamento visa sanar a causa, se forem sintomas decorrentes da síndrome do climatério, a terapia hormonal ou o uso de fitoterápicos pode estar indicado, a depender da avaliação de cada caso clinico. Somente o médico poderá, após anamnese, exame físico e eventualmente exames laboratoriais, indicar tratamento adequado.

Quando o problema é predominantemente distúrbio de sono, além de anamnese, muitas vezes está indicada a polissonografia. A abordagem da paciente como um todo, levando em conta os aspectos biopsicossociais, é fundamental para a terapêutica adequada.



1) Por que o ser humano precisa dormir? Qual a função do sono?

O sono parece ser importante para a longevidade e para a qualidade de saúde O sono tem diversas funções tais como restabelecer o bem estar físico e mental.
Com uma noite bem dormida temos condições de enfrentar as atividades diárias.
Também durante o sono ocorre a consolidação da memória. Além disso, o sono também ajuda no sistema imunológico.
Durante o sono são secretados hormônios como o de crescimento e a prolactina.


2) Qual é a importância do sono para a saúde, bem estar e beleza femininos?
Dormir mal realmente faz mal para a aparência?

Pelo fato de o sono restaurar tanto a parte física quanto mental, se dormimos bem estamos mais dispostos no dia seguinte, consequentemente com melhor aparência.
Em geral, quando dormimos mal, no dia seguinte ficamos com o humor e também a aparência prejudicados.


3) É possível dar dicas de como driblar o sono, já que muitas mulheres se sentem prejudicadas com a sonolência?

DICAS DE HIGIENE DO SONO
  • Faça a útima refeição até as 20h;
  • Prefira pratos leves e de fácil digestão;
  • Na gravidez especificamente tenha uma dieta fracionada, coma pouco a cada 3 horas;
  • Evite atividade física depois das 18horas, mas faça alguma atividade tipo hidroginástica, que é relaxante;
  • Reduza a luz ambiente (ajuda o cérebro a secretar a melatonina, o hormônio do sono);
  • Faça atividades agradáveis, como ouvir música, ler mas fora do quarto de dormir;
  • Se possível faça um cochilo mesmo que curto durante o dia (20 minutos já ajudam bastante);
  • Na gravidez especificamente prefira a posição lateral esquerda para dormir,é melhor pra a circulação; eventualmente, quando a barriga estiver grande use uma almofada de apoio pequena embaixo da barriga, fica mais confortável.

  • 4) O que é CPAP?

    CPAP é a abreviação para Continuous Positive Airway Pressure, ou seja, um Sistema de Pressão Positiva Contínua das Vias Aéreas.
    Este sistema consiste em um pequeno ventilador que é conectado por um tubo flexível a uma máscara de plástico macio. Quando o paciente vai para a cama dormir, coloca a máscara sobre o nariz e liga o ventilador.
    O aparelho envia uma corrente de ar contínua e suave através do nariz até a garganta, mantendo as estruturas da garganta abertas, impedindo que se fechem e bloqueiem a passagem do ar.
    O CPAP, embora não seja a a cura definitiva das causas do ronco e da Síndrome da Apnéia/Hipopnéia Obstrutiva do Sono (SAHOS), é o meio mais eficiente de corrigi-los. O paciente começa a perceber a diferença no dia seguinte ao iniciar do uso do CPAP.
    No entanto, a indicação de uso do aparelho deve ser sempre recomendado por um médico, já que a pressão do sistema é determinada de forma individual, de acordo com a necessidade de cada paciente.
    Para conhecer os aparelhos e obter informações adicionais, acesse o site: www.cpap.com


    5) Na gestação, o sono passa a ter outro significado? Por exemplo, o descanso da mãe passa a ser importante também para o feto? Por quê?

    Durante a embriogênese, isto é, durante a formação do feto, nos três primeiros meses, se dá o período de maior “desgaste” físico geralmente há mais sonolência que está relacionada ao aumento da progesterona.


    6) Na gestação, é normal a alteração do sono?

    O sono se modifica na gravidez em função das modificações gerais do organismo materno, alterações hormonais e também emocionais.
    No primeiro trimestre da gravidez há aumento da progesterona, um hormônio considerado indutor de sono, por isso grande parte das mulheres se queixam de excesso de sono. Alguns trabalhos mostram que isso seria uma profilaxia para o momento de sono fragmentado que virá a seguir, tanto no final da gravidez como no puerpério (acordar para amamentar o bebê).
    No segundo trimestre, melhoram os enjôos, mas organismo já tem uma lentificação na digestão, e aumenta a frequência urinária.
    Portanto, muitas mulheres acordam ou por asia ou pra irem ao banheiro, tendo um sono fragmentado.
    No terceiro trimestre, associado as estes fatores, temos o aumento importante do volume abdominal, que dificulta posição pra dormir, a respiração fica também mais difícil (curta), muitas mulheres roncam.
    Nas questões emocionais: a ansiedade quanto a saúde do bebê, o medo do parto, ansiedade do que virá depois, dos cuidados com o bebê, contribuem para aumentar o período que se está acordada. Além disso, se o casal está em desentendimento ou passando por problemas financeiros, o sono da mulher grávida fica ainda de pior qualidade.


    7) Existem estatísticas em relação as alterações do sono na gestação?

    Uma pesquisadora, entrevistando gestantes na Universidade Federal de São Paulo, obteve as seguintes estatísticas de queixas de sono na gestação durante os três trimestres:

  • sonolência excessiva: 15% no primeiro trimestre, 55% no segundo trimestre e 14% no terceiro trimestre;
  • sonolência leve: 33% no segundo trimestre e no 48% terceiro trimestre;
  • insônia: no segundo trimestre;
  • despertares específicos: 63% no primeiro trimestre, 80% no segundo trimestre e 84% no terceiro trimestre.
  • Curiosidades:

    Estudos recentes têm mostrado associação entre ronco e problemas respiratórios como a apnéia que podem piorar ou aparecer na gestação. Os freqüentes despertares que ocorrem em resposta a apnéa resultam em privação crônica de sono e sonolência diurna excessiva.
    É importante o diagnóstico e tratamento da apnéia uma vez que a hipóxia do evento apnéico leva não só a sonolência excessiva diurna como predispõe à complicações fetais, particularmente retardo de crescimento intrauterino.
    Estudos recentes também têm mostrado que mulheres no terceiro trimestre da gravidez roncam mais que no início da gestação, e que a taxa de complicação perinatal pode ser mais alta nas mulheres que roncavam do que nas que não roncavam.


    8) Há medidas da higiene do sono específicas para as gestantes?

    Recomendamos um cochilo durante o dia, em decúbito lateral esquerdo que melhora a circulação fetal.


    9) Nos últimos meses de gestação, é aconselhável descansar mais, já que após o nascimento do bebê, o sono da mamãe será prejudicado (devido as mamadas do recém-nascido)?

    Nos últimos meses o aumento do volume abdominal, a ansiedade para o momento do parto e questões emocionais contribuem para o sono fragmentado. Quando o padrão de sono da mãe fica ainda pior pois deve acompanhar o do bebê.
    A mãe amamenta aproximadamente a cada 4 horas. Recomenda-se que a mãe tente dormir entre as mamadas, para aproveitar o intervalo para descansar e porque durante o sono se libera o hormônio prolactina, que é responsável prela produção do leite.


    10) Que funções específicas do organismo feminino são realizadas durante o sono?

    Uma coisa específica que acontece durante o sono, nas mulheres é a liberação de prolactina (hormônio responsável pela produção de leite). Por isso que enquanto amamentando a mulher deve dormir bem.
    Até mesmo aproveitar as horas em que o bebê dorme pra preservar a produção de leite.

    11) Mesmo antes do climatério, as mulheres têm sono mais delicado que os homens?

    Sim, os estudos mostram que as mulheres têm mais insônia que os homens, provavelmente devido a variações hormonais, tensão pré-menstrual etc. Parece que mesmo durante o ciclo menstrual há variações no sono:
    tanto na quantidade como na qualidade.

    12) De que forma a baixa hormonal durante a meia-idade consegue diminuir a qualidade do sono das mulheres?
    A insônia é condição pela qual todas as mulheres na menopausa passam?
    Em relação à menopausa, o interessante é pensar que se a mulher sofre mais de sono com a variação hormonal seria de se esperar que na menopausa isto se resolveria, e ao contrário piora muito: aumenta a incidência de insônia, ronco, apnéia e pernas inquietas.
    A insônia afeta cerca de 60% das mulheres na pós-menopausa. Os motivos são vários: as ondas de calor, que podem levar ao despertar, as alterações de humor, a mudança social: os filhos casam e simultaneamente a mulher está se aposentando, deixando a casa “vazia”.
    Além de perder o estrogênio, há perda da progesterona. Os estudos mostram que com a menopausa há perda do efeito protetor respiratório hormonal. A progesterona é considerada um estimulante respiratório e com a sua ausência aumenta a incidência de apnéia.
    Corroboram com este fato a mudança de distribuição de gordura , que após a menopausa passa a ser mais central. Outras causas podem levar a acordar várias vezes à noite: sono fragmentado por apnéia. Esta pode levar a hipóxia que faz a paciente despertar para "respirar”.
    Além disso, a insônia por ansiedade, ou mesmo as pernas inquietas também podem fazer a pessoa acordar várias vezes à noite.


    13) Como é feito o tratamento da insônia para as mulheres na menopausa?
    É aliado a outros tipos de tratamento?
    Em primeiro lugar é importante que a pessoa procure atendimento médico e havendo a necessidade, serão realizados exames complementares para esclarecimento da causa da insônia, ou verificar se não há outros distúrbios de sono.
    Um bom acompanhamento médico, sobretudo dos sintomas de menopausa, ajuda e muito.
    O tratamento visa olhar a pessoa como um todo, estimulando atividades prazerosas à pessoa, quer seja leitura, encontros da terceira idade, passeios ou coisas que aumentem sua auto-estima.
    Cuidados com a alimentação: dieta fracionada, pouco gordurosa, estimular o uso de derivados de soja e chá de folha de amora, que sabemos que melhora os sintomas de ondas de calor.
    Verificamos a necessidade ou não de terapia hormonal, sempre pesando os riscos e benefícios.
    Ou outros sintomáticos que visem o tratamento de alguma condição especial, seja ansiedade, depressão, calores, atrofia etc.
    Acreditamos que a procura por profissional da área possa melhorar muitos dos sintomas que podem ser difíceis nesta fase da vida.