Ginecologia Obstétrica

Especialidade Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia e Obstetrícia é o nome de uma especialidade médica reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina do Brasil.

A especialidade de Ginecologia é a que trata de doenças do sistema reprodutor feminino, útero, vagina, ovários e mamas.

A Obstetrícia é o ramo da medicina que estuda a reprodução na mulher. Investiga a gestação, o parto e o puerpério nos seus aspectos fisiológicos e patológicos.

O ginecologista acaba sendo o clínico geral da mulher, pelo fato de a acompanhar, rotineiramente, uma vez por ano, seguindo sua saúde e solicitando exames preventivos.



Os principais problemas tratados com um ginecologista são:

  • Irregularidade menstrual
  • Tensão Pré-menstrual
  • Amenorréia (ausência dos períodos menstruais)
  • Dismenorréia (períodos menstruais dolorosos - cólicas)
  • Alterações hormonais como hiperprolactinemia, falência ovariana
  • Queixas relacionadas a Sexualidade
  • Menopausa
  • Câncer dos órgãos reprodutivos incluindo ovários, tuba uterina, útero, vagina e vulva
  • Irregularidade menstrual
  • Incontinência urinária
  • Infertilidade e fertilidade
  • Prolapso dos órgãos pélvicos
  • Cervicite / Corrimento / Infecção vaginal
  • Doença Inflamatória Pélvica
  • Cisto Ovariano
  • Mioma


  • Irregularidade menstrual

    Muitas vezes a mulher apresenta ciclos menstruais muitos curtos ou mutio longos. Isso pode ser devido a alteraçãoes hormonais como problemas de prolactina, tireoide etc. Asssim, é importante uma adequada investigação para que seja feito tratamento correto e o ciclo se normalize.

    Síndrome de tensão pré-menstrual

    É o conjunto de sintomas físicos e emocionais que ocorrem entre uma a duas semanas antes de um período menstrual. Os sintomas muitas vezes variam de mulher para mulher e deixam de se manifestar assim que tem início a menstruação. Entre os sintomas mais comuns estão o acne, mamas doridas, sensação de inchaço, cansaço, irritabilidade e alterações de humor, alterações no sono: hipersonolência ou insônia. Esses sintomas desaparecem com o início do fluxo menstrual.

    Cerca de 80% das mulheres afirmam ter alguns sintomas antes da menstruação. No entanto, apenas em 20 a 30% sentem necessidade de tratamento.

    O tratamento varia desde vitaminas, indicação da prática de execicios físicos, como a possiblidade de medicamentos.


    Dismenorreia

    É uma dor pélvica que ocorre antes ou durante o período menstrual (cólica menstrual), que afeta cerca de 50% das mulheres em idade fértil.
    Pode ser primária ou secundária.

  • A dismenorreia primária é aquela que ocorre geralmente logo após as primeiras menstruações na adolescência, podendo cessar ou reduzir quando a mulher atinge a faixa dos 20 e poucos anos. Normalmente nesses casos não há problemas no útero.
  • A dismenorreia secundária está relacionada a alterações do sistema reprodutivo, que podem ser endometriose, miomas uterinos, infecção, anormalidades na anatomia do útero ou da vagina de origem congênita. Geralmente começam a surgir dois anos depois da menarca.
  • O tratamento mais efetivo para a dismenorreia secundária é a identificação e o tratamento das causas da dor, embora o alívio proporcionado pelos antiinflamatórios pode frequentemente ser útil.


    Menopausa é o momento na vida das mulheres em que os períodos menstruais cessam de forma permanente.
    Com o aumento da expectativa de vida, a mulher tem passado cerca de um terço da vida no período de pós menopusa.

    Em geral a menopausa ocorre entre 45 e 55 anos.
    Para definirmos que esse período chegou, a mulher fica 12 meses consecutivos sem menstruar.

    Alguns fatores podem interferir na idade da menopausa como o tabagismo e alcoolismo (antecipam a menopausa), obesidade (posterga a menopausa), fatores ambientais e genéticos.

    Com a perda de produção do hormonios femininos, a mulher sofre as consequencias do hipoestrogenismo.

    Ao longo do intervalo de tempo que antecede a menopausa, geralmente os períodos de uma mulher tornam-se irregulares, o que significa que o intervalo de tempo entre eles pode ser mais curto ou mais longo ou que a quantidade de fluxo menstrual pode ser maior ou menor de período para período. Durante este intervalo, muitas vezes as mulheres sentem ondas de calor , que podem ser seguidas de episódios de sudorese. Em muitos casos isso pode levar a despertares noturnos e insônia. A insônia pode se dar pelos episódios de fogachos, pela própria oscilação hormonal, pela nictúria, ou pela prórpria condição psicossocial do momento, a síndrome do ninho vazio.

    Entre outros sintomas estão secura vaginal, alterações de humor. A gravidade dos sintomas varia de mulher para mulher.

    Incentiva-se exercício físico ao longo da vida da mulher.

    É importante que a paciente converse com seu ginecologista sobre os sintomas que a incomodam. Assim, poderá ser verficada a melhor forma de tratamento.

    Alguns medicamentos também podem melhorar os sintomas, como a terapia hormonal, clonidina, gabapentina ou inibidores seletivos de recaptação de serotonina.

    A terapia hormonal tem otimos resultados, após a avaliação médica, e pesando riscos e benefícios. Também pode ser feito o tratamento com fitohormõnios como isoflavonas, com bons resultados ou mesmo com medicina alternativa.

    Para a secura vaginal especificamente, que pode incomodar a mulher tanto na relação sexual como em sintomas urinários, existe a possibilidade de tratamento com hormônio local. Outra opção, mais moderna, é a aplicação de laser, com ótimos resultados.


    Mioma

    Os miomas são tumores benignos, que podem aparecer a partir da puberdade, mas a idade de maior incidência é a quarta década de vida e com maior incidência entre negras.
    Acontece em cerca de 50% das mulheres na faixa etária dos 30 aos 50 anos.
    Geramente o mioma tende a regredir ou mesmo desaparecer, devido à diminuição das hormonas no corpo feminino após a menopausa.
    Os miomas variam em tamanho, e devem ser acompanhados pelo médico ginecologista.
    A maioria dos miomas é assintomática, mas pode ocasionar períodos menstruais prolongados e com fluxo aumentado, sangramentos fora de época, por vezes com coágulos, podendo levar à anemia; Pode ainda levar a aumento da intensidade das cólicas menstruais.

    O diagnóstico pode ser suspeitado devido ao relato dos sintomas descritos acima. Durante o exame, pode-se palpar uma massa de localização sugestiva de ser uterina. O principal exame utilizado é a ultra-sonografia (exame indolor), que pode demonstrar a presença do mioma e também a sua localização.
    Os miomas podem se localizar em diversas partes do útero. Existem 4 tipos de mioma, os subserosos, intramurais, submucosos e pediculados




    Tratamento

    Existem basicamente três tipos de tratamento: por medicamentos, por cirurgia, ou por embolização.


    Gravidez

    É o período de gestação nos seres humanos, contado a partir da fecundação e implantação de um óvulo no útero até ao nascimento.
    A mulher, nesse período, passa por diversas alterações fisiológicas que sustentam o desenvolvimento do feto e preparar para o parto.
    O parto ocorre em média cerca de 38 semanas após a fecundação, o que corresponde a aproximadamente 40 semanas após o início do último período menstrual. Uma gravidez múltipla é a gravidez em que existe mais do que um embrião ou feto, como é o caso dos gémeos.
    No início da gravidez os sintomas mais frequentes são a ausência de menstruação, sensibilidade nas mamas, náuseas, vómitos e aumento da frequência urinária.
    Costuma-se dividir a gestação em três trimestres.
    O primeiro trimestre tem início com a fecundação e termina às doze semanas de idade gestacional, durante o qual existe risco acrescido de aborto espontâneo (morte natural do embrião ou do feto).
    No segundo trimestre, o risco de aborto espontâneo diminui acentuadamente, a mãe começa a sentir o feto. Costuma ser um trimestre tranquilo. Podem ser visíveis os primeiros sinais exteriores da gravidez.
    O terceiro trimestre é marcado pelo desenvolvimento completo do feto até ao nascimento.
    Os cuidados de saúde e os exames pré-natais apresentam uma série de benefícios para a saúde da grávida e desenvolvimento fetal.
    Entre os cuidados de saúde essenciais estão a suplementação com ácido fólico, a restrição do consumo de tabaco, álcool e drogas, a prática de exercício físico adequado à gravidez, a comparência às consultas de acompanhamento e a realização dos exames médicos e ecografias recomendados.

    Algumas complicações podem ocorrer na gestação tais como a hipertensão, diabetes gestacional.
    O acompanhamento de pré-natal, visa o acompanhamento, prevenção, diagnóstico precoce e intervenção quando necessário para preservação do binômio mae-feto.
    Também é durante o pré-natal que a paciente tira suas dúvidas e é preprarada para o momento do parto;
    O tipo de parto (normal ou cesárea) depende da condições clinicas da mae e feto, sempre levando em consideração o melhor para o binômio (mãe-feto).